segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Cheirosa infância...




Arroz de leite

Banho de mangueira

Balanço na árvore

Uva da parreira

Trança enfeitada de margaridas

Arnica pras coceiras

A casa da minha vó

Tinha o perfume da flor de laranjeira...

[Não esquece de fechar a porteira!]


(Wania)






30 comentários:

  1. doce como o figo açucarado da postagem de baixo :)

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Que delícia!

    Wania, Estou com uma nova edição do concurso de contos no blog. Convido para conhecer e , se achar interessante, divulgar em seu blog, quem sabe algum leitor seu vence?

    Muito obrigada

    ResponderExcluir
  3. Luiza querida!


    Tô numa fase formiguinha, carregando açucar pra lá e pra cá...rsrsrs! Ando faceira! ;)
    Obrigada pela presença!


    Bj doce pra ti!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Vanessa

    Que bom que gostaste, fico feliz!

    Vou divulgar teu concurso de contos e o tema é inspirador para mim - Contos de Fadas- quem sabe me eventuro nestes caminhos????

    Bjinhos, amiga!

    ResponderExcluir
  5. Oi e ai tudo bem?
    Este texto me fez lembrar minha infancia.
    To com um texto muito legal sobre a minha infancia tambem. Voce ve la depois?

    www.rimasdopreto.blogspot.com

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. querida,

    fui até lá, acredita?


    um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sandro


    Que bom que o que eu escrevi fez você se lembrar da sua... pelo que li lá no teu blog, era bom é você nem sabia!


    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Betina querida!

    Que bom que tu foste até lá... a casa da minha vó, na realidade um sítio, era tudo de bom, são tantas lembranças boas que foi difícil decidir o que ficava e o que saia da poesia...rsrsrs!

    Lembrar pra escrever foi igualmente bom, também voltei lá e senti tudo outra vez, acredita?


    Bjo grande, amiga!

    ResponderExcluir


  9. Achei rosa (Dra Menina) poeta!
    Linda infância!

    :)

    ResponderExcluir
  10. Ô coisa boa... Uma boa parte de mim ainda tá na infância. Ficam me dizendo "Cresça e apareça!". Não, não, tá bom assim.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Wania...

    As imagens da infância permanecem em nós pra toda a vida. Quem teve a sorte de crescer entre árvores, plantas, flores, aromas e terra não esquece jamais. Essas coisas perpetuam-se na alma da gente, dando saudade de vez em quando. De tão belas que foram...

    Um beijo

    Carla

    ResponderExcluir
  12. Oi, Wania!
    Ótima a sensação de conforto causada pelas tuas palavras! Só faltou o bolo de milho. ;)

    Beijo grande...

    ResponderExcluir
  13. Por.teir.a lembrança inamovível com eira, beira e tudo o mais... ;)

    ResponderExcluir
  14. menina Wania!... seria bom se a vida fosse uma brincadeira de esconde-esconde e agente se achasse, mesmo por instantes, criança novamente ...para brincar de passa-anel com vc rsrs.

    bonitas lembranças!
    bjs
    ns☻

    ResponderExcluir
  15. coisa deliciosa as tuas linhas da vontade de comer elas...:)))
    beijos

    ResponderExcluir
  16. Ahhhhhhhhhhhhhhhhh adoro casa de Vó!

    A minha tinha cheiro de pão assado na grelha com café quente torrado em casa... ôooooooo meu Deus porque isso passa? Gostaria que fosse eterno não apenas em lembranças!

    bjs minha amiga!

    ResponderExcluir
  17. Wania, lindo. Viajei gostoso agora, obrigada.

    Um beijao

    ResponderExcluir
  18. o cheiro de infância é tão gostoso..me lembrei do sítio do pica pau amarelo e sua porteira,rsrsrs...a minha infância foi parecidinha..q saudade. lindo!

    ResponderExcluir
  19. Ai que saudades desse tempo bom em que as avós faziam parte de nossa vida!

    E como descreves bem este tempo!

    Beijos, Wania!

    Mirze

    ResponderExcluir
  20. doce e delicado poema minha amiga, como costumo ler por aqui... Bj com carinho.

    ResponderExcluir
  21. Não cresci próximo aos avós, mas, de resto, todas as outras referências são facilmente recuperáveis, a infância tem um sabor único, ,basta voltar um pouco na memória... Dias despreocupadamente felizes!

    Abraços

    ResponderExcluir
  22. Olá, e a goabeira com o balanço de cipó? rs abraços moças, blog fantastico

    ResponderExcluir
  23. que tempo feliz!
    (minhas lembranças são parecidas com as tuas!)

    tenho certeza que esse tempo feliz contribuiu muito para o tempo feliz de hoje...

    Adorei, Wania!

    Um beijo, querida.

    Talita
    História da minha alma

    ResponderExcluir
  24. ai Wania! vc sempre me leva além, sabe o que lembrei do pé de rosário da casa da minha avó, os terços antigamentes eram feitos das continhas daquela planta....ai que saudade, da vó, da gente pequeno, da minha mãe....nossa, quanta lembrança boa junta...obrigada por me dar isso. bjs no coração

    ResponderExcluir
  25. Ainda bem que a gente pode dar asas à criança dentro da gente... nem tão dentro, às vezes... rs
    Um poema perfeito, com cheirinho de infância e casa de vó de verdade... que coisa mais adorável!
    Beijokas.

    ResponderExcluir
  26. Oi Wania

    Falou com a alma de criança. É lindo isso.

    eu?
    Fui lá dar um beijo na minha avó, um cheiro no meu avo!

    Abçs
    Vai me ver amiga rsrs
    Saudade viu!

    ResponderExcluir
  27. Tonho,

    Marcantonio,

    Carla,

    Alline,

    Francisco,

    Nelson,

    Myra,

    Marcinha,

    Georgia,

    Adriana,

    Mirze,

    Ùrsula,

    Aline,

    Ives,

    Talita,

    Cris,

    Lara,

    Lua Nova,

    Mi

    Obrigada pelo carinho das palavras e pelo relatos das lembranças... coisa boa sempre termos um cantinho deste pra voltar, nem que seja em pensamento!

    Desculpem-me a ausência!
    Um beijo carinhoso para cada um de vocês.

    ResponderExcluir
  28. Boa tarde Wania... Que coisa preciosa essa poesia..

    Poderia publicá-la com a imagem na página do meu facebook? Uma página infantil da minha filha. Se quiser conferir.. Seja bem-vinda!

    https://www.facebook.com/bolhinhasdesabaoparamaria


    Volto aqui pra saber sua resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tê
      Obrigada pela palavras carinhosas sobre a minha poesia.
      Náo vejo problemas, já que vais colocar o meu nome e a fonte, no caso meu blog, fica perfeito!
      Podes compartilhá-la na pagina da sua filha.

      Bj

      Excluir

"Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes..."
(Cecília Meireles)

Que bons ventos te tragam mais vezes!