quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Artemisia


Ela desce as escadas dos sonhos

A água fria costura os seus pés no assoalho

O espelho lhe conta as dobras do rosto

O creme na pele faz o carinho que faltou

Alinhava os cabelos no rosto

Concede uma dança para o vestido azul

Fecha os botões um a um

Pensando em quem irá abrí-los

Seu perfume embriaga mais que Absinto

Ela faz isso todo dia

Sempre a espera de alguém

Mas mal sabe ela

Que a espera é megera

E que Ele não vem!

Wania

15 comentários:

  1. Wania, lindo demais, mas tb cruel o final.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá menina,

    Essa poesia, é, encanto, magia, suavidade, é sensibilidade de uma utopia.

    Parabéns pela sua sensibilidade.

    ResponderExcluir
  3. Artemisia

    Esta miss faz ARTE!

    Com ar de miss ía tê-lo então...
    Absinto muito!

    Lindo, mas triste Wania!

    Beijos

    :)

    ResponderExcluir
  4. Georgia, foste a primeira...rsrsrsrsrs!

    Oi, amiga querida.
    As palavras, às vezes, pedem pra serem escritas...

    Obrigada pela visita e pelo incentivo!

    Bjão

    ****************************

    Oi...

    Agradeço o elogio sensibilizada!!!!
    Bjssss

    ****************************

    Brigaduuuu, Tonho!
    Tb adoro te ver por aqui, sabia?

    Ela tb "absinto(e)" muuuito...

    Bjão

    ResponderExcluir
  5. Que lindo!

    Suas metáforas são leves e encadeiam a leitura.
    A gente lê que não sente.
    E o sentido do texto salta de uma maneira tão natural... *-*'

    Maravilhoso.

    Tava com saudade disso aqui.

    Beijo, Wania.

    Kaio Rafael.

    http://surrealcadente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Wania,

    A pior espera é aquela que sabemos que ninguém virá, mas, mesmo assim, nos iludimos e fantasiamos.

    Muito bonito, já estou me acostumando com poesias, já as absorvo com maior naturalidade.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Não seja cruel. Ele vem. Mesmo que demore um pouco, ele vem.

    Um grande beijo ;*

    ResponderExcluir
  8. Oi, Kaio, bom te ver por aqui de novo!
    Este teu comentário é de uma delicadeza... uma delicadeza poética!
    Obrigada de coração...

    Volte mais vezes!
    Bjão

    ********************

    Luciano, no fundo, no fundo Ela sempre espera que Ele venha...

    Que bom que gostou, assim vais pegando o gosto...rsrsrs!

    Bjão pra ti, Guri querido!

    ***************************

    Maryama... nada como ter 18 anos...rsrs!
    Tô brincando contigo... idade linda, como todas pelas quais passamos, cada uma com seus encantos e as suas peculiaridades!

    Deixa eu te contar uma coisa a Artemisia tem um espírito jovem e ela ainda acredita muuito no Amor! Talvez seja isso que a impulsione para frente, mesmo a espera sendo tão megera!

    Bjinho carinhoso pra ti!

    ResponderExcluir
  9. Muito bem "costurado" este seu poema!
    Agradeço a visita e o gentil comentário ao meu post.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  10. Bem vinda, Marie!

    Obrigada por ajudar no arremate...rsrs!

    O prazer foi todo meu em te visitar!
    Portas sempre aberta pra ti...

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. O destino é um otário mesmo, perdendo tempo desse jeito...
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Marisete
    Que bom te ver por aqui!

    Concordo contigo em gênero, número e grau... aahhhhhhh... este Destino!!!!!

    Bjão e bom domingo para ti.

    PS: como vai indo o livro?
    Que bons ventos sempre te inspirem...

    ResponderExcluir
  13. Poetisa, tua Artemística transcende os portais, deixas tonto os guardiães!!

    Bjuss!!

    Hod.

    ResponderExcluir
  14. Halley!
    Só tu...Amadico!
    Minha Artemisia é poderosa...então???

    Obrigada por esta ternura que transcende!

    Beijos...da Fada Verde!!!

    ResponderExcluir

"Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes..."
(Cecília Meireles)

Que bons ventos te tragam mais vezes!